ForeverMissed
Este memorial foi criado em memória de António Seixas, . Que a sua recordação dure para sempre.
Este tributo foi publicado por Jorge Machado em 26 de julho de 2021
O tempo esse" impiedoso" professor, vai carregando notas como de um fardo de tratasse, ciente de que o " sistema funciona", torneira cósmica que no planeta terra instituiu a sucessão dos dias e das noites como temporalidade, ausente de subdivisões durante milhões de anos, em que os minutos e segundos, por convenção, passaram a fazer parte, de uma ampulheta mais recente.

Tempo, em que brincava a ampulheta com a clepsidra, e o relógio observando.
Quando a areia pingava, as gotas de água feitas lágrimas --- diluíam-se em ponteiros indicadores!...

Vem dos confins do tempo
A ideia sempre nova
Que a Amizade
Por alto, nobre e raro sentimento
Património imensurável de pequenos grandes nadas
Deve constituir um bem inestimável.

Por vezes supera - nos a vontade de viver
Sentir, escrever o que digo
O quanto nos faz torcer
A insondável força de um Amigo.


Ontem, viu o que hoje seria?!...
Amanhã despontará como era ?!..
Haverá dizeres, críticas, acenos...

Ele descansará porque descanso merece
A quem da vida, fez vida fora da prece

Florirão ervas daninhas , esguias, livres
E saltões de asas azuis, passear-se-ão
À procura de terreno!...

O professor falha na colocação, o ministério do ser conjugou o verbo no futuro, como transitivo , o sindicato perde nas negociações, e na aproximação das férias, as notas fracas, como dispêndio de ganhos inglórios, para tempo gasto sem fim de túnel visível!...


Por: Francisco Gonçalves
Este tributo foi publicado por Jorge Machado em 21 de julho de 2021
Meu querido amigo:

Adormeceste na morte mas jamais te esquecerei.
Foste um amigo que soube estar ao meu lado em todos os momentos...não poderia deixar de homenagear a nossa amizade e eternizar tudo que vivemos juntos.

Que Deus te tenha a seu lado e ilumine a tua alma.

Saudades, Jorge Machado

Deixar um Tributo

 
Últimos Tributos
Este tributo foi publicado por Jorge Machado em 26 de julho de 2021
O tempo esse" impiedoso" professor, vai carregando notas como de um fardo de tratasse, ciente de que o " sistema funciona", torneira cósmica que no planeta terra instituiu a sucessão dos dias e das noites como temporalidade, ausente de subdivisões durante milhões de anos, em que os minutos e segundos, por convenção, passaram a fazer parte, de uma ampulheta mais recente.

Tempo, em que brincava a ampulheta com a clepsidra, e o relógio observando.
Quando a areia pingava, as gotas de água feitas lágrimas --- diluíam-se em ponteiros indicadores!...

Vem dos confins do tempo
A ideia sempre nova
Que a Amizade
Por alto, nobre e raro sentimento
Património imensurável de pequenos grandes nadas
Deve constituir um bem inestimável.

Por vezes supera - nos a vontade de viver
Sentir, escrever o que digo
O quanto nos faz torcer
A insondável força de um Amigo.


Ontem, viu o que hoje seria?!...
Amanhã despontará como era ?!..
Haverá dizeres, críticas, acenos...

Ele descansará porque descanso merece
A quem da vida, fez vida fora da prece

Florirão ervas daninhas , esguias, livres
E saltões de asas azuis, passear-se-ão
À procura de terreno!...

O professor falha na colocação, o ministério do ser conjugou o verbo no futuro, como transitivo , o sindicato perde nas negociações, e na aproximação das férias, as notas fracas, como dispêndio de ganhos inglórios, para tempo gasto sem fim de túnel visível!...


Por: Francisco Gonçalves
Este tributo foi publicado por Jorge Machado em 21 de julho de 2021
Meu querido amigo:

Adormeceste na morte mas jamais te esquecerei.
Foste um amigo que soube estar ao meu lado em todos os momentos...não poderia deixar de homenagear a nossa amizade e eternizar tudo que vivemos juntos.

Que Deus te tenha a seu lado e ilumine a tua alma.

Saudades, Jorge Machado
Histórias recentes