ForeverMissed
Percurso

Carreira

O músico intérprete dos grandes sucessos como “Quando eu fui a Benguela”, “Kandengue” e “Som da Banda” morreu neste domingo, vitima de doença (Cancro no Pâncreas), em Lisboa, soube o Platina Line de fonte familiar.

Fernando Quental, de 40 anos de carreira, mais conhecido artisticamente por Nando Kental, nasceu no Cunene, porém foi no Lubango onde começou a sua carreira musical e fez parte do seu primeiro agrupamento musical “Shallon”, na igreja da Laje, onde era o baterista.

Em 1976, depois da independência de Angola, saiu com os seus pais para África do Sul, e depois mudou-se para Portugal.

Em terras lusas, Kental formou com os primos o grupo “Kizomba” em 1979, nome inspirado num grupo que já existia em Ondjiva.

Com muito sucesso, os “África Tentação” iniciam uma série de actuações em festas, colectividades e no Coliseu dos Recreios.

Em Portugal, é convidado pelo Eduardo Paim, para tocar guitarra no lançamento do álbum “Kapuete Kamundanda” do músico Paulo Flores.

Nando Kental também fez parte do grupo “Kanawa”. Em 1991, regrava o tema “Quando Fui a Benguela” com Eduardo Paim, que resulta numa nova sonoridade “Kizomba”. Em 1992, é convidado a participar no projecto “Sem Kigila Também” de Ruca Van-Dunem, no qual interpreta os temas “Kandengue” e “Som da Banda”, com muito sucesso.

Em 1999, grava o primeiro álbum a solo “Kassula Iami”, com Tino MC, Betinho Feijó e Maninho Teixeira.

Em 2001, é convidado pelo Dj Dias Rodrigues para participar no projecto Pikante Vol.1, onde interpreta a canção “Leviana”. Mais tarde, em 2006, grava no Pikante Vol.2, a música “Processos da Banda”, um dueto com Eduardo Paim.

Em 2015, Nando Kental é convidado a participar no espectáculo Show do mês de Eduardo Paim, em Luanda.