ForeverMissed
Heróis da I Grande Guerra
Esta Página pretende ser uma Homenagem ao General Fernando Tamagnini de Abreu, para que a sua memória perdure para sempre.
Agradecemos que contribua caso possua alguma informação, história ou qualquer tipo de imagens relativa a este nosso compatriota ou com ele relacionadas.
Este tributo foi publicado por Paulo Marques em 16 de julho de 2021
Espera-se que TOMAR e os tomarenses de valor com participação na Grande Guerra e as centenas de mobilizados pelo RI 15 e os 22 mortos do concelho de Tomar não sejam esquecidos
Há cem anos atrás Portugal envolveu-se - e viu-se envolvido - num conflito criado e nascido na, já na altura, velha Europa, sacudida, uma vez mais, por convulsões que sempre tiveram a ver ou com fronteiras das Nações ou com a tentativa de domínio dos Estados mais fortes. Existe uma comissão nacional oficial que ao longo deste período entre 2014 e 2018, refere “ não se alhei ou ignore o sacrificío do Soldado de Portugal que, uma vez mais na sua longa caminhada, deu tudo; e tudo é a própria vida!” Tomar viu nesta guerra os seus soldados envolvidos e mais que isso generais tomarenses.

Texto: António Freitas

Deixar um Tributo

 
Últimos Tributos
Este tributo foi publicado por Paulo Marques em 16 de julho de 2021
Espera-se que TOMAR e os tomarenses de valor com participação na Grande Guerra e as centenas de mobilizados pelo RI 15 e os 22 mortos do concelho de Tomar não sejam esquecidos
Há cem anos atrás Portugal envolveu-se - e viu-se envolvido - num conflito criado e nascido na, já na altura, velha Europa, sacudida, uma vez mais, por convulsões que sempre tiveram a ver ou com fronteiras das Nações ou com a tentativa de domínio dos Estados mais fortes. Existe uma comissão nacional oficial que ao longo deste período entre 2014 e 2018, refere “ não se alhei ou ignore o sacrificío do Soldado de Portugal que, uma vez mais na sua longa caminhada, deu tudo; e tudo é a própria vida!” Tomar viu nesta guerra os seus soldados envolvidos e mais que isso generais tomarenses.

Texto: António Freitas
Percurso

Morre a 24 de novembro de 1924

Faleceu em 24 de Novembro de 1924 em Lisboa.

Na foto: da esquerda para a direita: General Tamagnini, Richard Haking, Gomes da Costa

Obras editadas

1923 - Escreve as suas memórias: Os meus três comandos
editado por Isabel Pestana Marques; pref. Nuno Severiano Teixeira, Viseu, SACRE: Fundação Mariana Seixas, 2004.

Outras obras:
Diário de Campanha: General Fernando Tamagnini: Comandante do CEP, editado por João Vieira Borges, Eurico José Gomes Dias e Isabel Pestana Marques, Comissão Portuguesa da História Militar, 2018.

1ª Guerra Mundial ou Grande Guerra

1916 – A Alemanha declara guerra a Portugal a 9 de março.
1917 – É nomeado comandante do Corpo Expedicionário Português; partem para França os primeiros expedicionários.
1918 – A 9 de Abril na Batalha de La Lys, morrem mais de 400 portugueses e cerca de 7 000 são feitos prisioneiros, fragilizando de forma irreversível o CEP, de cujo comando é exonerado.
A assinatura do armistício, a 11 de novembro de 1918, põe fim à guerra.
Texto: António Freitas
Foto: http://www.memorialvirtual.defesa.pt
Histórias recentes

De Tancos à Flandres

Partilhado por Paulo Marques em 16 de julho de 2021
Depois de Portugal atender ao pedido britânico de requisição dos navios alemães surtos em portos nacionais, a Alemanha declarou guerra ao nosso país, a 9 de março de 1916. Nos meses que se seguiram, entre abril e julho, deu-se o «Milagre de Tancos», assim chamado devido ao curto espaço de tempo em que se concentraram e prepararam cerca de 20 mil homens vindos de vários pontos do País. O obreiro principal desse «milagre» foi o ministro da Guerra, Norton de Matos, que contou com a preciosa ajuda do general Tamagnini.
Antes da concentração em Tancos e durante o período que antecedeu o embarque para a Flandres, Tamagnini foi também incumbido por Norton de Matos de acompanhar os preparativos da concentração pelo País, vigiando as tropas e abafando os vários motins contra a mobilização.
Será, pois, de uma forma quase «natural» que surgirá a sua nomeação para comandante do Corpo Expedicionário Português (CEP) em janeiro de 1917. As primeiras tropas embarcaram rumo à Flandres nos finais desse mês e Tamagnini assumirá o comando a 20 de março, tendo pela frente a árdua tarefa de organizar e comandar cerca de 55 mil homens.
Texto: António Freitas